Cabo Verde alarga ensino superior à ilha de Santo Antão já em setembro

O primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, anunciou o arranque do ensino superior em Santo Antão em setembro, voltado para as Ciências Agrárias, tornando-se na terceira ilha do país a receber esse nível de ensino.

Ainda este ano letivo 2022/2023 estaremos em condições de avançar com o arranque oficial”, anunciou o chefe do Governo.

“É um compromisso firme e que tem a ver com a política do Governo relativamente ao ensino superior que associa o conhecimento, a investigação à vocação das ilhas”, afirmou Ulisses Correia e Silva.

Para o governante, “mais que instalações, o importante são os conteúdos e a excelência do ensino”.

“E ciências agrárias em Santo Antão, por razões óbvias, é uma ilha com a componente agrícola muito forte, ao longo da sua história e tradição, o que faz com que o polo universitário sirva a ilha, mas também Cabo Verde”, acrescentou.

O primeiro-ministro considerou que esta será “uma oferta de qualidade”, que terá “impacto social e económico muito forte”, levando “conhecimento e investigação” com uma “forte ligação com os produtores agrícolas e a classe empresarial”.

“Por outro lado, o ambiente universitário é importante e contagiante para levar alunos de todos os municípios e de outras ilhas a Santo Antão, e quiçá da nossa região mais próxima. Temos condições de criar polos de referência e que agregam valor”, disse ainda.

Concretizando-se a instalação deste polo da UTA, a ilha de Santo Antão, a mais montanhosa do arquipélago e predominantemente agrícola, será a terceira de Cabo Verde a receber o ensino universitário, depois de Santiago e de São Vicente.

“É o mesmo conceito que levamos à ilha do Fogo, associado ao vulcanismo. A intenção e ter um ensino superior de proximidade e mais vocacionado para as potencialidades de cada ilha”, descreveu ainda Ulisses Correia e Silva.

O ministro da Educação de Cabo Verde anunciou em janeiro último que o Instituto Superior de Agronomia de Lisboa estava a trabalhar com as autoridades cabo-verdianas na oferta formativa dos primeiros cursos de ensino superior a instalar na ilha de Santo Antão.

“Trabalhamos com o Instituto Superior de Agronomia de Lisboa para nos ajudar a desenhar a oferta formativa em matéria de agronomia e de zootecnia”, disse o ministro da Educação, Amadeu Cruz, no parlamento.

 

Exit mobile version