Caixas térmicas feitas em Portugal levam vacina da Pfizer até à Argentina

Caixas térmicas feitas em Portugal levam vacina da Pfizer até à Argentina

Recipientes desenvolvidos pela APP Thermal podem acomodar até cinco mil doses e mantêm a temperatura abaixo dos 80 graus durante mais de 72 horas.

A empresa portuguesa, sediada na zona industrial da Maia, desenvolveu caixas que conseguem manter as temperaturas muito baixas, condição necessária à preservação da vacina da BioNtech-Pfizer.

Há mais de cinco meses que a APP Thermal está a produzir caixas com condições térmicas especiais para o armazenamento da vacina. “Sabíamos que teria de ser transportada de uma forma completamente diferente das outras, a menos de 80 graus. Desenvolvemos materiais que permitem esse isolamento para aguentarem até 120 horas”, avança Manuel Pizarro, CEO da empresa.

Os produtos foram testados numa câmara que simula condições ambientais e temperaturas, com recurso a um programa de inteligência artificial. “Este simulador é importante, porque temos de defender as vacinas, ao máximo, do calor”, explica.

As caixas com as vacinas serão acomodadas num recipiente, preenchido com gelo seco. Um aparelho com sensores monitorizará a temperatura da no interior desse recipiente e transmitirá a informação, em tempo real, por GPS para um centro de controlo. As caixas, desenvolvidas na Maia, têm quatro tamanhos diferentes e podem levar entre mil e cinco mil doses de vacinas.

Para evitar roubos ou extravios, as caixas possuem um selo e sensores de luz. É possível perceber se foram abertas e onde estavam quando foram violadas. “Ter equipamentos a monitorizar todos os parâmetros encarece a solução, por tratar-se de um envio massivo de caixas”. Sendo uma vacina nova, a Pfizer não arrisca e “quer saber tudo o que entregou” e se o transporte cumpriu os “requisitos”.

A APP Thermal criou uma plataforma que poderá possibilitar o rastreio do envio das vacinas da Pfizer na Argentina, onde tem uma parceira, a Advanced Products Argentina. “Este portal tem geolocalização e, se algo correr mal, conseguimos corrigir”, indica.

A APP Thermal está preparada para exportar as caixas de armazenamento e de transporte da vacina contra a covid-19 para Angola, Moçambique, Cabo Verde e outros países de língua portuguesa, além da Europa e dos países nórdicos. A empresa maiata tem a ambição de ajudar no transporte para a Madeira e os Açores. “As nossas caixas já são usadas no Mundo todo”, frisa Manuel Pizarro. No caso específico da vacina contra a covid-19, “teríamos de quintuplicar o volume de caixas e criar as infraestruturas necessárias. Até seria gratificante”.

Plano de vacinação em Portugal

Primeira fase: Grupo prioritário abrange 900 mil

Entre janeiro e fevereiro de 2021 serão vacinadas 950 mil pessoas. Os residentes e funcionários de lares e unidades de cuidados continuados, os profissionais de saúde, de segurança e de serviços considerados essenciais. E ainda as pessoas com mais de 50 anos com insuficiência cardíaca, insuficiência renal, doença coronária, DPOC, e insuficiência respiratória crónica (com suporte ventilatório).

Segunda fase : Todos os idosos e doentes de risco

No segundo trimestre, o grupo alvo abrange 2,7 milhões de pessoas, dos quais 1,8 milhões com mais de 65 anos e sem patologias e 900 mil entre os 50 e os 64 anos com determinadas doenças (como cancro ativo, diabetes, hipertensão, obesidade, insuficiência hepática e doença renal crónica).

Terceira fase : Toda a população até dezembro

Deverá prolongar-se até ao final do ano e abranger toda a população com duas doses. Se houver atrasos na distribuição das vacinas, poderão ser definidos mais grupos prioritários.

Exit mobile version