Eleições distritais em França servem de preparação para presidenciais

As eleições distritais e provinciais, chamadas departamentais e regionais em França, vão acontecer a 20 e 27 de junho, com a região de Île-de France, região periférica de Paris, a ser um dos locais mais disputados entre as diferentes forças políticas.

Com uma população de 12 milhões de pessoas, Île-de-France é a região mais populosa da Europa e também uma com mais recursos económicos em França. A disputa faz-se principalmente entre a presidente que se recandidata, Valérie Pecresse, que representa o centro-direita, e Laurent Saint Martin, deputado do La Republique en Marche, partido que apoia Presidente Emmanuel Macron.

Julien Garcia é lusodescendente e presidente da Câmara de Étréchy, na região parisiense. É candidato na lista de Valerie Pécresse e quer representar as preocupações dos lusófonos que vivem nesta região. “Há várias razões para eu integrar a lista da Valerie Pecrésse. Claro que um autarca com 30 anos aqui na zona, numa cidade central, dá algum peso à lista, mas há outras razões. Sou o candidato que pode levar a palavras dos lusodescendentes a nível regional”, defendeu Julien Garcia.

Philippe Pereira, também é luso-descendente e é vice-presidente da Câmara de Nogent sur Marne. Este candidato é militante do La Republique en Marche e defende que esta é uma eleição para aumentar a implantação regional do partido e preparar as eleições presidenciais de maio de 2022. “É a última ocasião de mobilizar os militantes antes das eleições presidenciais, Há questão de preparação do partido e dos militantes. Outro ponto importante é saber como estão as outras forças políticas no país, nomeadamente em cada uma das regiões”, considerou.

A França vai a votos na primeira volta a 20 de junho e na segunda volta a 27 de junho para apurar a liderança de 101 departamentos ou distritos que compõem 18 regiões, apurando assim a temperatura política no país antes das eleições presidenciais de 2022.

Exit mobile version