Emigrantes e lusodescendentes manifestam-se na próxima segunda-feira frente ao Consulado de Portugal em Buenos Aires

Por Revista Comunidades

Cerca de uma centena de emigrantes e lusodescendentes vão juntar-se, na próxima segunda-feira, 8 de agosto, frente ao Consulado de Portugal em Buenos Aires, Argentina, para exigir uma solução para a falta de resposta na obtenção e renovação de documentação.

Vários cidadãos portugueses e lusodescendentes sentem-se “abandonados” pelo Consulado de Portugal naquele país e queixam-se da demora na obtenção e renovação de documentos, bem como nos processos de cidadania. Muitos dizem estar “desacompanhados há dois anos, aguardando, sem resposta”, uma oportunidade para poderem resolver a renovação de documentos, como passaporte, ou cartão do cidadão.

Em declarações à Revista Comunidades, Laudi Abreu, lusodescendente que trabalha numa empresa de mudanças em Buenos Aires, e uma das organizadoras da manifestação, referiu que “o Consulado português não oferece nenhuma solução para os nossos pedidos, somos mais de 200 afetados pelo mau funcionamento e atendimento do Consulado”.

“Que nos deem turnos para regularizarmos a nossa situação” é o que reivindica a lusodescendente, que procura atualmente obter a cidadania, e a exigência que farão na próxima segunda-feira, pelas 9h00 locais (13h00 em Lisboa), frente ao Consulado de Portugal na capital argentina. “A identidade é um direito!” será o mote nesta manifestação, que será pacífica, garantem os organizadores, e que servirá para “revelar a quantidade de portugueses afetados pelo mau funcionamento dos serviços consulares”.

No seu “site” oficial, a Secção Consular da Embaixada de Portugal em Buenos Aires refere que “está ao corrente das dificuldades” na marcação de agendamentos “online”, lamentando “os inconvenientes causados”.

“A Secção Consular está neste momento a trabalhar ao máximo da sua capacidade, com um quadro de pessoal reduzido devido à aposentação de um dos funcionários e a aguardar a abertura de um concurso para reforço de pessoal”, justifica.

Aquele Consulado informa ainda que “o sistema de agendamentos online não depende desta Embaixada, tratando-se de um sistema central gerido pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros português”, e avança que está a analisar “a possibilidade de turnos adicionais, nomeadamente através do reforço de meios humanos, ao que pedimos que todos os interessados consultem a página da Embaixada para novas informações a serem anunciadas”.

Exit mobile version