EUA destronam Angola e tornam-se terceiro destino do vinho português

A França e o Reino Unido continuam a ser os principais destinos dos vinhos portugueses.
Segundo dados da Viniportugal, que reúne profissionais da indústria vinícola, as exportações de vinho de mesa para os EUA cresceram 66,6% nos últimos seis anos.
“Os EUA são uma prioridade máxima desde 2012. É um mercado cujo consumo continua a aumentar, bem como a sua população. É o maior importador mundial de vinhos, mas também é produtor, pelo que há conhecimento e apreciação”, reconheceu o diretor de marketing da Viniportugal, Nuno Vale.
No ano passado, os EUA importaram 74,8 milhões de euros em vinho português, absorvendo agora mais de 10% de todos as exportações neste setor, o que ajudou a compensar a queda de 40 milhões de euros em valor das exportações para Angola, uma descida de 54%.
Nuno Vale explicou à Lusa que os “EUA têm uma nova geração, aberta a descobrir novos vinhos, a procurar vinhos com autenticidade e com uma boa relação qualidade-preço”.
“Os vinhos portugueses oferecem isso e surpreendem e por isso têm ganho o interesse pelo mercado americano, mas também pelo mercado global”, acrescenta.
Segundo o mesmo responsável, a ViniPortugal investe “perto de 1,5 milhões de euros anuais” em promoção nos EUA.
Ainda este mês, a empresa organiza uma prova e um evento exclusivo para importadores, em Los Angeles, participa depois no New Orleans Wine and Food Experience, na Aspen Food & Wine e, em agosto, estará presente na Texsom, a maior conferência de ‘sommeliers’ dos EUA.
Em outubro, organiza uma série de eventos exclusivos para importadores em Chicago e Nova Iorque e diversos jantares vínicos em Seattle, San Diego e Miami.
A subida nas exportações também se verificou no Canadá, Alemanha, Reino Unido, Suíça, China, Polónia e Japão.
No total, no ano passado, as exportações de vinho de mesa atingiram os 732 milhões de euros, mais cinco milhões de euros do que em 2015.
A ViniPortugal acredita que continuará a crescer este ano, estimando um aumento das exportações de cerca de 4%: “Portugal está definitivamente na moda, assim como os vinhos portugueses”, diz Nuno Vale.

Exit mobile version