EUA. Projeto “As Nossas Vozes” vai debater temas da comunidade luso-americana em português

Um novo projeto “As Nossas Vozes”, organizado em parceria pelo Conselho de Liderança Luso-Americano (PALCUS) e o Instituto Português Além-Fronteiras (PBBI), vai debater temas relevantes para a comunidade luso-americana em língua portuguesa, anunciou a organização. 

“São muitos temas que quer o PBBI quer a PALCUS têm tratado, mas têm tratado em inglês. E gostaríamos de fazer uma transição para termos sessões em português”, disse Diniz Borges, presidente do instituto sediado na Universidade Estadual da Califórnia, Fresno.

Com o arranque marcado para 27 de janeiro, o projeto engloba cerca de 18 webinários, que vão acontecer às quintas-feiras de três em três semanas e discutir temas como o movimento associativo, a comunicação social e questões relacionadas com a pandemia de covid-19.

O resultado estará disponível em ‘podcast’ através da aplicação do PALCUS e será arquivado como História Oral na Biblioteca da universidade em Fresno.

“Um dos projetos do PALCUS é promover a língua portuguesa e trabalhar na questão de o português voltar ao ‘Startalk’, depois de ter sido abolido na administração de [Donald] Trump”, explicou Diniz Borges.

O responsável refere-se ao programa federal que financia projetos de formação em línguas consideradas críticas nos Estados Unidos, e que deixou de incluir o português na edição 2020. O Conselho de Liderança Luso-Americano tem trabalhado para que esse estatuto seja reestabelecido.

“Se estamos aqui para preservar o que ainda existe da língua portuguesa, só fazermos coisas em inglês é um contra-senso”, indicou o presidente do Instituto, falando da ideia por detrás de “As Nossas Vozes”.

“Temos que ter algum cuidado em fazer atividades no âmbito do que a PALCUS e o PBBI andavam a fazer, mas em português para a comunidade emigrante e para dar destaque à língua portuguesa”, sublinhou.

O primeiro webinário terá como tema “O nosso movimento associativo: alicerces da comunidade” e contará com a participação de dirigentes associativos da Califórnia, Florida, Connecticut, Massachusetts e Nova Iorque.

Segundo Diniz Borges, os programas terão também um espaço de destaque para individualidades em estados fora do circuito habitual das grandes comunidades portuguesas. Serão “emigrantes ou primeira geração que falem português e vão contar um bocadinho das suas vivências, além das zonas tradicionais da emigração”.

Será ainda reservado algum espaço para dar destaque a artistas que pintam, escrevem ou fazem outras formas de arte ligadas ao português e a Portugal.

A apresentação dos webinários vai ficar a cargo de Diniz Borges, do diretor do PALCUS na Florida, Ilídio Pereira, e da diretora do PALCUS em Nova Iorque, Katherine Soares.

O responsável indicou que se espera uma decisão da administração de Joe Biden sobre o regresso ou não do português ao ‘Startalk’ até março.

 

Exit mobile version