Galp anuncia início da produção de primeiro navio-plataforma no Brasil

Esta unidade tem capacidade para processar diariamente 150 mil barris de petróleo e seis milhões de metros cúbicos de gás, explica a Galp.
A Galp anunciou, em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a entrada em produção da primeira unidade replicante no campo Lula/Iracema, no Brasil.
Trata-se de um navio-plataforma para a produção de petróleo e gás natural, explica a Petrobrás, que lidera o consórcio. A FPSO P-66 é uma unidade flutuante que terá a função de separar o óleo do gás e da água durante o processo de produção, armazená-lo nos tanques de carga e depois transferi-lo para os petroleiros.
Segundo o Dinheiro Vivo, é “a sétima unidade a entrar em operação no campo Lula/Iracema, em apenas seis anos, e a primeira unidade replicante a iniciar produção”, explicou a Galp.
A unidade vai operar na área de Lula Sul, no pré-sal da bacia de Santos, e prevê-se que seja interligada a dez poços produtores e a oito injetores. A aproximadamente 290 km da costa do estado do Rio de Janeiro, a FPSO P-66 está ancorada a uma profundidade de água de 2150 metros e tem capacidade para processar diariamente 150 mil barris de petróleo e seis milhões de metros cúbicos de gás, explica a Galp.
De acordo com a energética, que tem uma participação de 10% neste consórcio através da subsidiária Petrogal Brasil, serão construídas seis unidades semelhantes.

Exit mobile version