Moçambique. Mingau enriquecido tira crianças da desnutrição

Mulheres em Cabo Delgado, Moçambique, estão a receber formação da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, FAO, para melhorarem as condições nutricionais das comunidades na região. 

A preparação do mingau enriquecido tem vindo a salvar a vida de crianças recém-nascidas, e até aos cinco anos, enquanto a província do norte do país tem as maiores taxas de desnutrição nesta faixa etária no país.

Alimentação 

A refeição, que ajuda a melhorar o nível da alimentação destes menores, leva farinha de moringa, sal e manteiga de amendoim, e pode incluir ovo e açúcar.

Com o programa, as mulheres também aprendem mais sobre nutrição, práticas de higiene e receitas com alimentos locais. Os “aprendizes” ajudam a prevenir doenças e melhorar a qualidade de vida das comunidades.

Com as ferramentas agrícolas distribuídas pelo projeto, as mulheres plantam hortas caseiras, sendo capazes de preparar refeições mais nutritivas. Muitas participantes aprenderam a produzir alimentos pela primeira vez.

As participantes destas formações são encorajadas a levar o conhecimento para as suas famílias e vizinhos, ampliando a adoção das boas práticas.

Resposta 

Desde o início deste projeto, 6 mil mulheres participaram nas sessões de educação nutricional. Em pouco tempo, a FAO observou que a diversificação alimentar e hortas caseiras melhoraram, ajudando a reduzir a desnutrição na comunidade.

O ciclone Kenneth, em abril de 2019, a intensificação de ataques de grupos armados e a pandemia de Covid-19 agravaram a situação em Cabo Delgado nos últimos anos.

De acordo com a FAO, estima-se que o conflito resultou numa queda de 30% na produção agrícola em comparação com a temporada anterior.

Além disso, Cabo Delgado é a província com a maior população em insegurança alimentar aguda, em Moçambique.

Entre dezembro de 2020 e janeiro de 2021, a FAO forneceu crédito para 14 mil famílias comprarem sementes de cereais e vegetais e ferramentas agrícolas, garantindo que as pessoas afetadas possam produzir seus próprios alimentos.

 

Exit mobile version