Emigrante português deixa sua marca em edifícios icônicos da Big Apple

Depois de trabalhar na construção do Terminal B do Aeroporto LaGuardia, no Queens, o arquiteto português Domingos da Silva deu início a uma nova rotina de trabalho na estação Penn Station, no coração de Nova York.

A estação, que foi construída no subsolo e abrange três blocos entre a 7ª e a 8ª avenidas, tem mais de 600 mil pessoas em trânsito para todos os destinos nos Estados Unidos (através da NJ Transit, Long Island Railroad e Amtrak) todas as semanas. Também inclui um complexo sistema de metro.

O projeto de reforma e melhoria, denominado “East End Gateway e Long Island Rail Road (LIRR) Concourse”, é financiado pelo Estado de NY e “inclui a construção de uma impressionante entrada de vidro na Sétima Avenida, de frente para o Empire State Building, o que permitirá a luz natural do sol dentro da estação” diz Domingos Silva. “A primeira fase de construção será concluída no final deste ano. A segunda fase vai até 2023, e vai ampliar o interior da estação, que passará a ter dois níveis e corredores de compras. Na cotação de bilhões de dólares, o projeto não deve interromper o serviço da frenética estação enquanto estiver em andamento”, conclui.

“Como natural de Portugal e como arquiteto, sinto-me muito orgulhoso por ter dado o meu contributo para todas as obras onde trabalhei na cidade de Nova Iorque”, afirma Domingos da Silva. “Sinto que, com isso, também deixo uma marca portuguesa nesta cidade, que reflete a prosperidade americana.

O imigrante transmontano de Vilarelho da Raia, Vila Real, tinha 11 anos quando os pais se estabeleceram no condado de Westchester, em Nova York. Depois de ir para a faculdade em Mount Vernon, formou-se em Design Gráfico e Arquitetura na RISD, em Providence e no Manhattanville College. Com a sua licenciatura, em 1992, consegue o seu primeiro emprego numa empresa metalúrgica luso-americana em Elmsford, a “C&F Iron Works”. Há quatro anos, ingressou na multinacional sueca Skanska AB, uma das maiores empresas de construção civil do mundo,

Acostumado ao eclético universo da construção nova-iorquino, Domingos da Silva, também se envolveu no megaprojeto do World Trade Center, incluindo a construção da icônica estação PATH, do arquiteto espanhol Santiago Calatrava. “Era uma obra muito complicada atender as linhas do metro que passam pela estação, da qual fizemos toda a estrutura”.

De Lower Manhattan, em 2017, Silva segue para o aeroporto LaGuardia, no Queens, onde faz parte da equipe da Skanska responsável pela construção do novo Terminal B do segundo aeroporto mais importante de Nova York. “Construímos quatro pontes de acesso para a área de embarque e desembarque do aeroporto”. Ao demolir o antigo terminal, a Autoridade Portuária de NY e NJ, que gere o projeto, decidiu manter grande parte da cerca de ferro fabricada pela empresa luso-americana C&F, inspirada no tema “Big Apple”, que existia há cerca de três décadas – para futuras exposições.

Exit mobile version