Portugal e Cabo Verde assinam programa de cooperação de 95 milhões de euros

Os governos de Portugal e de Cabo Verde assinam esta segunda-feira, na Praia, no final da VI Cimeira entre os dois países, um Programa Estratégico de Cooperação 2022-2026, que vai envolver cerca de 95 milhões de euros.

Este programa, de acordo com fonte do Governo português, será assinado no segundo e último dia de visita do primeiro-ministro, António Costa, a Cabo Verde.

Em Cabo Verde, o líder do executivo português estará acompanhado pelos ministros de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, da Justiça e da Administração Interna, Francisca Van Dunem, e pelo secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Francisco André.

Segundo fonte do executivo português, a VI Cimeira entre Cabo Verde e Portugal, que deveria ter-se realizado em 2021, mas foi adiada por causa da covid-19, “vai contribuir para um importante reforço da cooperação bilateral no contexto da recuperação pós-pandemia”.

Além do Programa Estratégico de Cooperação 2022-2026, que “prevê um financiamento no montante indicativo de 95 milhões de euros para a componente projetos, programas e ações”, durante a cimeira será também assinado um programa anual de cooperação técnico-policial e um memorando de entendimento sobre cooperação no domínio da justiça.

Nesta cimeira, os governos português e cabo-verdiano preparam-se ainda para fechar um memorando de entendimento nos domínios do desporto e juventude, e um protocolo de cooperação relativo à implementação da Rede de Bibliotecas Escolares e do Plano Nacional de Leitura de Cabo Verde.

Nesta segunda-feira, António Costa tem um pequeno-almoço de trabalho com o Presidente da República de Cabo Verde, José Maria Neves, no Palácio Presidencial, e visita depois a Escola Portuguesa, onde vai inaugurar novos pavilhões.

Nesta cerimónia, na Escola Portuguesa, estão previstos discursos dos primeiros-ministros Ulisses Correia da Silva e de António Costa, assim como do ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues.

Exit mobile version