Portugueses acumularam 21,2 milhões de euros em junho com IVAucher

Portugueses acumularam 21,2 milhões de euros em junho com IVAucher

As Finanças revelam que os portugueses acumularam 21,2 milhões de euros em junho com o IVAucher, o incentivo ao consumo que devolve o correspondente ao IVA em restauração, alojamento e cultura.

Quase dois meses depois do IVAucher entrar em vigor, o Ministério das Finanças faz um balanço da sua adesão por parte dos portugueses: no total, os consumidores acumularam 21,2 milhões de euros em junho, revela o gabinete de João Leão em comunicado, não existindo dados ainda para julho. Os consumidores podem acumular IVA até a 31 de agosto.

“O saldo do IVA acumulado pelos contribuintes no Programa IVAucher durante o mês de junho ascende a 21,2 milhões de euros, o que corresponde a um acréscimo de 48% face ao valor registado em junho de 2020 e apenas 2 milhões de euros abaixo do cenário pré-pandemia, em junho de 2019“, escrevem as Finanças, calculando que “o impacto do Programa IVAucher será, para já, de pelo menos 42,4 milhões de euros”.

Além do impacto económico, este programa está a estimular os consumidores a pedirem fatura com NIF (número de identificação fiscal). “No mês de junho de 2021, foram registadas nos setores do alojamento, cultura e restauração, o total de 6.221.813 faturas” com NIF, o que corresponde a um aumento de 34% face a junho do ano passado. No total, essas faturas representam um consumo de 167 milhões de euros.

O saldo acumulado em junho por cada consumidor já está fechado e pode ser consultado através do Portal e-fatura ou da na aplicação móvel “e-Fatura” para iOS ou Android.

Posteriormente, terá de aderir ao programa IVAucher (através da associação do cartão bancário ao respetivo NIF) para usufruir do valor acumulado a partir de 1 de outubro. Até ao momento já se registaram 102 mil adesões, de acordo com o Ministério das Finanças, “ainda que a adesão apenas tenha de ocorrer antes da utilização do benefício”.

O programa, que arrancou a 1 de junho, permite acumular o IVA gasto na restauração, alojamento e cultura — aqueles que o Governo considera serem dos setores mais afetados pela pandemia — até 31 de agosto para depois ser descontado, até um máximo de 50%, em compras nesses mesmos setores entre 1 de outubro e 31 de dezembro.

O Governo prevê devolver aos consumidores 200 milhões de euros através do IVAucher, mas admite um valor superior se o consumo superar as expectativas. Contudo, tendo em conta o balanço do primeiro mês, o limiar definido pelo Executivo no Orçamento do Estado para 2021 (OE 2021) ainda está bastante longe de ser alcançado, mesmo que o consumo acelere em julho e agosto.

Exit mobile version