Província do centro de Moçambique recebe equipamento hospitalar da Hidroelétrica de Cahora Bassa

Mais de seis milhões de meticais, o equivalente a 72 mil euros. É este o valor do equipamento hospitalar que a Hidroelétrica de Cahora Bassa doou a unidades de saúde da província de Tete, no centro de Moçambique, numa iniciativa inserida no combate ao coronavírus.

«[Esperamos que este material] seja utilizado dentro do melhor critério, dando assistência e abrangendo os distritos e as comunidades mais carenciadas», disse Pedro Couto, presidente do Conselho de Administração da HCB, citado na página da empresa na rede social Facebook.

Trata-se de um lote composto por ventiladores, monitores de sinais e tubos endotraqueais, bem como luvas cirúrgicas, máscaras, fraldas para adultos, sabão, bacias e baldes.

«Este apoio constitui um avanço muito grande no combate à covid-19 pois já registamos casos na maioria dos nossos distritos, havendo apenas cinco, dos 15, que ainda não registaram casos positivos», referiu o governador de Tete, Domingos Viola.

A doação da HCB a unidades hospitalares de Tete, que conta atualmente com oito casos ativos, visa contribuir para a melhoria das condições de trabalho do pessoal médico, além de apoiar o combate à propagação do novo coronavírus.

A hidroelétrica de Cahora Bassa (HCB), que gere a barragem com o mesmo nome na província de Tete, no centro de Moçambique, é a maior fonte de eletricidade do país.

A barragem é a maior da África Austral, com construção iniciada em 1969, ainda no período colonial, e operação a partir de 1977.

O Estado detém 85% das ações da HCB, 7,5% pertencem à Redes Energéticas Nacionais (REN), empresa de transporte de energia de Portugal, e outros 7,5% são ações disponibilizadas na operação de oferta pública de venda (OPV).

A HCB abastece Moçambique, a África do Sul e outros países vizinhos com uma produção anual que tem rondado os 13.700 gigawatts (GWh).

Moçambique, que viveu os últimos cinco meses em estado de emergência, regista um total de 3.440 casos de infeção pelo novo coronavírus, 21 óbitos e 1.661 pessoas dadas como recuperadas, segundo a última atualização.

Exit mobile version