Movimento “Também somos portugueses” passa a ser uma associação

O movimento “Também somos portugueses” (TSP) transformou-se oficialmente numa associação. A TSP lançou em 2018 uma petição para o recenseamento automático dos portugueses no estrangeiro, e luta pelo voto digital para a emigração.

A Associação reivindica um tratamento igualitário para todos os portugueses, apostando sobretudo no meio digital como forma de eliminar barreiras físicas e permitir aos cidadãos portugueses a residir no estrangeiro, acompanhar e participar ativamente na vida social e política de Portugal e dos respetivos países de acolhimento. Tem como objetivo defender os direitos dos emigrantes, e alargar a participação cívica e a influência dos portugueses da diáspora.

É também objetivo da TSP conseguir uma justa representatividade dos cidadãos portugueses, em particular os residentes fora de Portugal, no sistema político português, criando condições para que a expressão democrática através do voto seja feita sem fronteiras e barreiras.

A TSP visa contribuir, através da sua atividade, para a definição e avaliação de políticas públicas de emigração.

Paulo Costa, o presidente da (agora) associação, salienta que “apesar das distâncias, os portugueses que vivem no estrangeiro têm agora uma capacidade muito maior de interagirem entre si e de unirem comunidades para a resolução dos seus problemas comuns. Apelamos aos portugueses em todo o mundo que se juntem a nós. Juntos somos mais fortes”.

“A associação “Também somos portugueses” está já representada em Portugal, França, Bélgica, Reino Unido, Alemanha, Brasil e Estados Unidos da América, e procura um alargamento da sua presença a todas as comunidades portuguesas no estrangeiro”, refere um comunicado da TSP.

Exit mobile version