Tubarão ‘pré-histórico’, das profundezas, capturado em águas portuguesas

Tubarão-cobra é comum no Atlântico, mas pouco avistado por ser um animal que vive nas profundidades.
O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) publicou, esta semana, na sua página online imagens de uma descoberta rara: um macho da espécie tubarão-cobra com 1,5 metros de comprimento.
A espécie tubarão-cobra (nome latino, Chlamydoselachus anguineus) é, de acordo com o IPMA, “um verdadeiro ‘fóssil vivo’, possui um corpo longo e esguio e uma cabeça que lembra a de uma cobra”.
Os dentes deste tubarão são o detalhe mais interessante, como pode ver nas imagens. O comunicado explica que, embora este animal tenha uma vasta distribuição geográfica ao longo de todo o Atlântico, é um animal das profundezas e, portanto, conhece-se pouco da sua biologia e ecologia.
Este tubarão-cobra particular “foi capturado aos 700 metros de profundidade”.
A captura foi feita em agosto passado, no âmbito do projeto MINOUW – ‘Iniciativa para a minimização de capturas das capturas indesejadas nas pescarias europeias’, por investigadores do IPMA e CCMAR.

Exit mobile version