Desporto Notícias Saúde

Atividade física pode reduzir risco de Parkinson em mulheres

Um recente estudo prospectivo de longo prazo associou a prática regular de atividades físicas à diminuição do risco de desenvolver doença de Parkinson em mulheres. A pesquisa apontou que aquelas que se exercitavam com mais frequência apresentavam uma redução de até 25% no risco, em comparação às menos ativas.

Estudo E3N traz resultados significativos

O estudo E3N, conduzido por pesquisadores franceses e envolvendo quase 99 mil mulheres, revelou que as participantes mais ativas fisicamente tinham um risco consideravelmente menor de desenvolver a doença de Parkinson. O Dr. Alexis Elbaz, médico e diretor de pesquisa responsável pelo estudo, ressaltou a importância da atividade física no início da meia-idade para prevenir o quadro no futuro.

Parkinson e sua incidência no Brasil

A doença de Parkinson é um distúrbio neurológico progressivo e crônico que afeta principalmente os movimentos, causando tremores, rigidez muscular e dificuldade de equilíbrio. No Brasil, estima-se que cerca de 200 mil pessoas sofram com a doença, que não possui cura conhecida até o momento. Por isso, a prevenção através de hábitos saudáveis, como a prática regular de atividades físicas, é fundamental.

Benefícios das atividades físicas na prevenção

Além de contribuir para a redução do risco de Parkinson em mulheres, a prática de atividades físicas também traz outros benefícios à saúde, como:

  • Melhora do condicionamento físico;
  • Fortalecimento dos músculos e das articulações;
  • Controle do peso corporal;
  • Redução do risco de doenças cardíacas, diabetes e alguns tipos de câncer;
  • Melhora da qualidade do sono;
  • Aumento da disposição e da energia;
  • Contribuição para o bem-estar emocional e mental.
Leia também:  Portugal a votos com emigrantes a serem tratados como cidadãos de segunda

Outras práticas saudáveis no combate a doenças

A prática regular de yoga e meditação também pode ser benéfica na prevenção e no combate a diversas doenças, tanto físicas quanto emocionais. Essas atividades ajudam a manter o equilíbrio entre o corpo e a mente, favorecendo o bem-estar geral e melhorando a qualidade de vida.

O ambiente ideal para a prática de yoga e meditação

Para aproveitar ao máximo os benefícios proporcionados pela yoga e pela meditação, é importante criar um espaço tranquilo e adequado em casa. A iluminação correta desse local é fundamental, já que interfere diretamente nos resultados obtidos. Algumas dicas incluem:

  • Optar por luzes indiretas e de temperatura de cor branco quente;
  • Evitar luzes intensas e diretas;
  • Utilizar abajures, luminárias de piso ou arandelas para criar uma atmosfera relaxante;
  • Preferir lâmpadas LED, que são mais econômicas e duráveis.

No contexto atual da doença de Parkinson, ainda sem cura conhecida e com crescente incidência no Brasil, a descoberta da redução do risco em mulheres através da prática regular de atividades físicas é extremamente relevante. Além disso, a adoção de outros hábitos saudáveis, como a prática de yoga e meditação, pode contribuir significativamente para a prevenção de outras doenças e, consequentemente, para a melhoria da qualidade de vida das pessoas.

Fontes

  • https://cbn.globoradio.globo.com/media/audio/409588/o-melhor-horario-para-pacientes-com-diabetes-se-ex.htm
  • https://portugues.medscape.com/verartigo/6509629
  • https://www.selecoes.com.br/saude/exercicios-fisicos-podem-reduzir-parkinson-em-mulheres-novo-estudo-revela-vb/
  • https://www.altoastral.com.br/casa-e-decor/criar-espaco-yoga-meditacao-casa.phtml
  • https://www.msn.com/pt-br/estilo-de-vida/moda/escolha-seu-favorito-5-tend%C3%AAncias-de-cal%C3%A7ados-para-o-inverno-2023/ar-AA1bDGwf