Ambiente Notícias

Sismos registados perto de Peniche e em Montemor-o-Novo

Vários sismos de baixa intensidade ocorrem no país em curto espaço de tempo

Na última noite e madrugada, Portugal continental presenciou cinco sismos de baixa intensidade, com epicentros em Montemor-o-Novo e Peniche. Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), não houve registro de danos pessoais ou materiais.

Ocorrências em Montemor-o-Novo e Peniche

Em Montemor-o-Novo, distrito de Évora, foram sentidos dois sismos com magnitudes de 2,4 e 2,9 na escala Richter, ocorridos em poucos minutos de intervalo. Por outro lado, na madrugada, um sismo com magnitude 3,0 foi registado perto de Peniche, no distrito de Leiria.

Outros abalos no país

Além dos sismos de maior magnitude mencionados, outros dois tremores de menor intensidade foram registrados em Melgaço e Portimão. O IPMA informa que todos os sismos ocorridos não causaram quaisquer danos ou feridos.

Atenção à sismicidade no país

A sequência de sismos registrados em tão pouco tempo chama atenção para a importância da prevenção e preparação diante de eventos sísmicos. Embora nenhum tenha provocado problemas significativos desta vez, vale lembrar que Portugal já enfrentou situações mais graves no passado, como o Terramoto de 1755.

Medidas preventivas e preparação da população

Para minimizar riscos e garantir uma resposta eficiente em caso de abalos sísmicos maiores, é fundamental adotar medidas preventivas e investir na educação da população sobre como agir nessas situações. Algumas ações importantes incluem:

  • Reforço estrutural de edificações: O cumprimento das normas de construção e a realização de obras de reabilitação são essenciais para garantir a resistência dos imóveis aos sismos.
  • Planeamento urbano adequado: Evitar a ocupação desordenada do território e considerar a sismicidade na elaboração dos planos diretores municipais pode contribuir para diminuir a vulnerabilidade das áreas urbanas.
  • Educação e informação à população: Promover campanhas de conscientização e treinamentos específicos para a população pode ajudar na adoção de atitudes corretas durante e após um sismo, evitando pânico e facilitando as operações de socorro.
  • Monitorização e investigação científica: Investir em estudos geológicos, monitorização de eventos sísmicos e desenvolvimento de tecnologias para prever e mitigar os impactos destes fenômenos é crucial para melhorar a capacidade de resposta do país.
Leia também:  Elon Musk: Não é impossível que IA venha a destruir a humanidade

Ao longo dos anos, Portugal tem investido em medidas preventivas e de preparação para enfrentar eventos sísmicos. Exemplo disso é a revisão do Plano Especial de Emergência para o Risco Sísmico (PEERS), que busca melhorar a capacidade de resposta das entidades envolvidas e da população em geral.

Importância da vigilância e informação

Os recentes sismos registados no país servem como alerta para a necessidade de manter a vigilância e assegurar que a população esteja informada sobre os riscos e medidas a serem adotadas. Através do monitoramento contínuo dos eventos sísmicos, como realizado pelo IPMA, é possível acompanhar a evolução da sismicidade e antecipar possíveis cenários de maior gravidade.

A participação ativa da sociedade nas ações de prevenção e preparação é fundamental para garantir uma resposta eficiente em caso de abalos sísmicos de maior magnitude.

Fontes

  • https://www.cmjornal.pt/sociedade/detalhe/covid-longa-afeta-336-mil-portugueses
  • https://www.publico.pt/2023/08/14/ciencia/noticia/sismos-registados-perto-peniche-montemoronovo-2060164
  • https://www.rtp.pt/noticias/pais/registados-cinco-sismos-de-baixa-intensidade-no-pais-durante-a-noite_v1507299
  • https://magg.sapo.pt/atualidade/atualidade-nacional/artigos/foram-registados-varios-sismos-nas-ultimas-horas-saiba-quais-as-localidades-afetadas
  • https://zap.aeiou.pt/dia-sismos-portugal-551983